A intimidade de Fradique Mendes

feq109_2“A minha intimidade com Fradique Mendes começou em 1880, em Paris, pela Páscoa, – justamente na semana em que ele  regressara da sua viagem  à África Austral.  O meu conhecimento porém com esse homem admirável datava de Lisboa, do ano remoto de 1867. Foi no Verão desse ano, uma tarde, no café Martinho, que encontrei, num número já amarrotado da Revolução de Setembro, este nome de C. Fradique Mendes, em letras enormes, por baixo de versos que me maravilharam.” Todos conhecemos, quase de cor, este início da mais célebre correspondência literária da nossa cultura.  (continuar a ler)

(Guilherme d’Oliveira Martins, “A intimidade de Fradique Mendes”, in Jornal de Letras, Artes e Ideias, Ano XXXIV, nº 1154, p. 29).

 

Artigo seguinte
Deixe um comentário

1 Comentário

  1. marisal@uol.com.br

     /  28 de Dezembro de 2014

    Carlos, seu site do Eça é exemplar.  Lindo, discreto, sempre dando vontade de ler as obras de Eça que comenta. Eu, por exemplo, estou em Santos ( praia próxima  de S.Paulo) e pode ter certeza de que vou encontrar uma “Correspondência de Fradique Mendes”… Contino te devendo uma conjuntinho de textos de Monteiro Lobato nos quais ele menciona Eça .  Eu tinha isso num arquivo que desapareceu, como ocorre com arquivos, quando se muda de computador …  Mas vou achá-lo !  Enquanto isso, receba um abraço e votos de um 2015 cheio de alegrias.  Marisa ( lajolo)    

    Responder

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: